Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Bolo Rei Bestial.

 

 

 

Tenho de confessar que comer uma fatia de bolo rei me dá um prazer delicioso. Não é pelo facto de ser um bolo, de ser doce ou ter frutas cristalizadas.

O que, realmente, me dá prazer é comê-lo aos pequenos pedaços, arrancados com os dedos e seleccionando todos os tipos de fruta. Detesto casca de laranja e passas.

E é um prazer tão simples como este… comer pequenas beliscadelas de bolo rei, saboreando apenas só as frutas que aprecio.

 

E agora vem o leitmotiv deste post. O que descrevi acima foi apenas um pequeno prazer secreto que partilhei convosco.

 

Há uns anos atrás decidi fazer um bolo rei. Seleccionei as melhores frutas – as que mais gosto, claro – arregacei as mangas e deitei as mãos à massa literalmente.

Preparei a massa com toda a sapiência e prazer, juntando todos os ingredientes metodicamente e seguindo a receita à risca.

 

Dei forma à massa, depositei-a no tabuleiro que a levaria ao forno, enfeitei-a com frutas e açúcar por cima e foi para a cozedura.

Quase de minuto a minuto, passava pelo forno e espreitava pela janelinha para observar o meu primeiro bolo rei, a minha obra de arte tão orgulhosamente concebida.

 

O bolo nunca mais estava pronto mas crescia a olhos vistos. Eu informava, com vaidade, a minha mãe que o bolo estava a ficar grande e bonito. Mas secretamente começava a desenvolver alguma preocupação.

 

Os minutos passavam, o bolo crescia e ultrapassados os minutos recomendados, fui espetar o palito para averiguar o estado de cozedura.

 

Ia tendo um chilique. Ah pois ia… é que o bolo cresceu tanto, tanto, que galgou as paredes do forno, tornando-se este exíguo para um bolo rei bestial.

Retirei-o do forno, chamei toda a família e mostrei o resultado final. O que iria ser um bolo rei vulgar – vulgar não, porque foi feito por mim - transformou-se numa enorme roda de tractor.

 

Mas que estava saboroso, estava! Isso vos garanto!

 

Let's Talk About Sex!

 

"A mulher precisa de estar bem para fazer sexo; e o homem precisa de sexo para estar bem".

 

                                  

 

A mulher como ser emocional que é, precisa de sentir carinho, desejo e confiança no seu parceiro para pratilhar um momento tão especial como o do sexo.

 

A vivência quotidiana - problemas laborais, pessoais, preocupações diárias - pode influenciar grandemente a disposição da mulher para estes momentos.

 

Nestes momentos de prazer, a mulher gosta de se empenhar e disfrutar na sua pleinitude estes instantes a dois para que aconteça uma entrega total.

 

Já o homem, tem uma atitude completamente diferente perante o sexo: são momentos como estes que representam reforços para a sua auto-estima e masculinidade.

 

O homem não precisa de estar ligado emocionalmente a uma pessoa para consumar um acto sexual. É o seu instinto primário a funcionar, a instigar a procura destes momentos.

 

 

Este post foi escrito à 1.40 da manhã, sob o efeito de sexo, drogas, alcool, coca-cola, café e bombons com prazo expirado há mais de dois anos... e não nos podemos esquecer do queijinho fresco* que ficou em cima da mesa!!!

 

 

 

* não confundir com o extinto conjunto musical "queijinhos frescos"!

 

O Sexo Trata-lhe da Saúde!

 

Aproxima-se o fim de semana e com ela a tão ansiada vinda do N. a casa.

O N. quer por força tratar-me da saúde. Já sei que ele só quer o meu bem, tal como eu a ele. Mas é preciso ir com calma…

Entrámos numa discussão acerca de sexo. Dos benefícios das relações sexuais.

 

Como já todos sabem, ando aqui com um grave dilema acerca do meu peso. Ele, preocupado com o assunto, revolveu procurar vias alternativas à cirurgia. Encontrou uma: SEXO! Ele defende a teoria que o sexo tira as dores de cabeça, queima calorias e faz emagrecer.

Ora eu até sou uma moçoila bastante céptica por isso, fui procurar informação. Pois agora espantem-se! Ele até tem… razão! E é tão zeloso que está a ter em conta não só o meu bem estar físico como psíquico ou até monetário…

 

Ora vamos lá a explicações mais claras.

Ponto um: O sexo tira as dores de cabeça.

Será que isto é verdade? Afinal existe a famosa desculpa “hoje não, querido, estou cheia de dores de cabeça…” Será porque o sexo agrava a dor de cabeça ou será que a vontade de sexo é nula? Por outro lado, também podemos pensar que numa relação sexual a circulação sanguínea aumenta e manda a dor de cabeça dar uma volta ao bilhar grande.

A experimentar para averiguar a verdade…

 

Ponto dois: O sexo queima calorias.

Pudera! Com o aquecimento global…! Dois corpos em esforço e fricção só poderia produzir aquecimento.

Se há esforço, produz aquecimento. Se produz aquecimento, há desgaste de energia. Se há desgaste de energia… bye bye calorias!!!

Lemos nós que em cada leva (entenda-se relação sexual), perdemos 200 calorias. Ele propôs que eu perdesse o mínimo de 600 calorias por dia…

 

Ponto três: O sexo faz emagrecer.

Segundo a lógica, assim será! Depois de tanto esforço, ginástica e transpiração, lá se foram as calorias todas!

Assim sendo, já não preciso de ir para nenhum ginásio e poupo uns trocos.

Acusa-me o N. que a culpa da sua abdominocha (tradução: bocha é o mesmo que o famoso pneu, mas para não ferir susceptibilidades uso esta terminologia, inventada por mim, cujo significado é um abdominal mais “desenvolvido”), deve-se a estar de dieta forçada hà 2 meses. E que é por este motivo, também, que eu tou mais pesadinha…  

Não confirmo nem desminto…

 

E agora vou contar-vos mais umas coisas que descobri:

 

- Previne a osteoporose.

Em vez de nos atascarmos de leite e iogurte, vá de fazer sexo com fartura…

 

- Alivia as dores, em geral.

  Já sabes o que te espera N. !

 

- Previne as constipações.

Por esta não esperava! Pessoal, vamos lá a praticar sexo para combater a estirpe da gripe!

 

- Ajuda a dormir!

Fora os comprimidos para dormir! Viva a medicina “natural”! Viva o sexo!

 

“Uma vida sexual activa reduz em 50% o risco de morte.”

 

 

E pronto! Haveria mais para contar mas já chega.